21 de jun de 2016

Pra Ter o Que Fazer (Clarice Falcão)

Nada gosta de não fazer nada
Todo telefone quer tocar
Uma janela é tão infeliz fechada
Quanto um carro sempre no mesmo lugar

Um relógio parado não existe
Um som sem som tem uma vida ruim
O apêndice é o órgão mais triste
Por que comigo não vai ser assim?

E aí eu marco três consultas
Antes de adoecer
E aí eu faço um estardalhaço
Só pra ter o que fazer

E eu me complico toda muito
Pra depois me resolver
E essa história demora horas
Só pra ter o que fazer




15 de jun de 2016

Tão cedo passa tudo quanto passa!

Fernando Pessoa por Hermenegildo Sábat.
Tão cedo passa tudo quanto passa!

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Tão Cedo


Tão cedo tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Poema extraído de 'Poemas de Ricardo Reis', obra disponível para download em Poemas de Ricardo Reis (Domínio Público)

Ricardo Reis (heterônimo de Fernando Pessoa)



20 de abr de 2016

Yoga

Yoga vem de uma palavra em sânscrito (yuj) que significa unir. A essência do Yoga busca a união do indivíduo (ser) ao Ser (seu potencial pleno de autorrealização, que pode ter muitos nomes conforme religião e filosofia).

Existem diversas escolas de Yoga no mundo. A primeira pessoa a escrever sobre práticas ióguicas foi Patanjali, entre 200 a.C. e 400 d.C..

O Yoga está muito associado à imagem de posturas físicas complexas (chamadas asanas). Mas, na verdade, os asanas foram desenvolvidos porque os monges ficavam muito tempo meditando e precisavam alongar o corpo. Assim eles alongavam o corpo para se concentrar por mais horas de meditação. De certa forma, eles trouxeram a meditação para o corpo, por meio do desenvolvimento das posturas.


Yoga cura doenças? Yoga emagrece? Yoga é só para relaxar?

2 de out de 2015

A Escravidão Branca no Brasil

Escravizar significa “reduzir a condição de escravo; subjugar, sujeitar.”. É importante ressaltar dois pontos nesta definição:

1. As palavras “escravo” e “slave” (em inglês) têm o mesmo significado e a mesma origem. Ambas vieram de “eslavo”, povo europeu branco de olhos claros, que foi escravizado várias vezes. Ou seja, a escravidão não é restrita a uma única etnia ou cor de pele;

2. A definição de “escravizar” é envolver “subjugar” e “sujeitar”, mas não necessariamente envolve só violência física. As maneiras para reduzir alguém à condição de escravo podem ser muitas e envolver uma combinação de fatores (psicológico, financeiro, social, etc.).

Gostamos de nos iludir pensando que escravidão é apenas um fato histórico. Mas ela continua forte até hoje. Talvez até mais forte que no passado. Para ver a face escravidão moderna em vários lugares do globo, assistam a palestra tocante da fotógrafa Lisa Kristine.



Jovens Polacas – A Escravidão Branca no Brasil

Para descobrir outra face da escravidão no Brasil, destaca-se o livro “Jovens Polacas – Da miséria na Europa à prostituição no Brasil” da escritora brasileira Esther Largman.


11 de set de 2015

O Nosso Livro (Florbela Espanca)

Poetisa portuguesa Florbela Espanca por Botelho.


Livro do meu amor, do teu amor,
Livro do nosso amor, do nosso peito...
Abre-lhe as folhas devagar, com jeito,
Como se fossem pétalas de flor.

Olha que eu outro já não sei compor
Mais santamente triste, mais perfeito
Não esfolhes os lírios com que é feito
Que outros não tenho em meu jardim de dor!

Livro de mais ninguém! Só meu! Só teu!
Num sorriso tu dizes e digo eu:
Versos só nossos mas que lindos sois!

Ah, meu Amor! Mas quanta, quanta gente
Dirá, fechando o livro docemente:
"Versos só nossos, só de nós os dois!..."

Florbela Espanca (1894 — 1930) foi uma grande poetisa portuguesa. Ao longo de seus breves 36 anos de vida, escreveu poesia, contos, um diário e epístolas; traduziu vários romances e colaborou em revistas e jornais.

Veja também outros poemas de Florbela Espanca ...

Fanatismo (Florbela Espanca)

Livros de Florbela Espanca