Pular para o conteúdo principal

Hibisco Roxo

Hibisco Roxo é o primeiro romance da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. 1 O tema central da obra é violência doméstica. A história é narrada pela adolescente Kambili, que junto a seu irmão e sua mãe sofrem por conta do fanatismo religioso e violência por parte do seu pai Eugene.

Livro Hibisco Roxo, Editora Companhia das Letras

A forma como a escritora trata a dependência emocional das vítimas numa relação de violência doméstica é muito realista e acredito que esse tipo de leitura pode fazer com que as pessoas tenham mais empatia e conhecimento sobre relacionamentos abusivos. Tomar conhecimento dessa dependência explica uma recente alteração na Lei Maria da Penha, agora a denúncia de terceiros é o suficiente para abrir uma ação contra um agressor 2. Antes, para abrir a ação contra um agressor, era necessária a denúncia da vítima. Se ela fosse agredida, mas não denunciasse o companheiro, nada poderia ser feito. E ainda havia a possibilidade da mulher retirar a queixa diante das pressões do agressor. Esse foi um grande passo na nossa legislação para o enfrentamento da violência doméstica. É preciso entender a complexidade das relações de abuso.

Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação (tortura, etc), passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. 3

a maioria das pessoas é bem familiar a esse distúrbio e deve passar por calafrios imaginando a dor que alguém possa ter passado até chegar a esse estado. Vítimas de violência doméstica chegam a esse estado muitas vezes, mas as pessoas já não parecem ter tanta empatia assim nesses casos. E essa falta de empatia se expressa quando dizem coisas do tipo:

Mulher que apanha do marido e não larga dele é porque gosta de apanhar
ou
porque não larga ele? porque se submete a isso

A culpa é transferida para a vítima. Essas pessoas ignoram a dependência emocional e o medo da vítima. Um medo muito justificado, já que a maioria dos assassinatos das mulheres vítimas de violência doméstica ocorrem no momento que elas decidem dar um basta na relação. Isso sem contar com a dependência financeira, algo que se torna ainda mais crítico quando o casal tem filhos.

A seguir uma palestra sobre violência doméstica de Leslie Steiner ao TED.4 Leslie Steiner esteve em um relacionamento com um homem que constantemente a agredia e ameaçava sua vida. Nesta palestra ela fala sobre o seu relacionamento e corrige más interpretações que muitas pessoas têm a respeito das vítimas de violência doméstica. A palestra é muito esclarecedora sobre toda a complexidade das relações abusivas e o porquê é tão difícil sair de uma relação de abuso.

Leslie Morgan - Por que as vítimas de violência doméstica não vão embora?

Mais sobre o tema ...

  1. Hibisco Roxo
    homoliteratus.com/hibisco-roxo-de-chimamanda-ngozi-adichie/
  2. Lei Maria da Penha vale mesmo sem a denúncia da vítima
    brasil.estadao.com.br/noticias/geral,lei-maria-da-penha-agora-vale-mesmo-sem-a-necessidade-de-denuncia-da-vitima,833694
  3. Sindrome de Estocolmo (Wikipédia)
    pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Estocolmo
  4. Palestra TED de Leslie Morgan Steiner
    www.ted.com/talks/leslie_morgan_steiner_why_domestic_violence_victims_don_t_leave

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se Eu Fosse Eu (Clarice Lispector)

A Crônica “ Se Eu Fosse Eu ” de Clarice Lispector foi publicada em 30 de novembro de 1968 pelo Jornal do Brasil. Esta e outras cronicas podem ser encontradas no livro A descoberta do Mundo , que reúne as crônicas que ela escreveu para o Jornal do Brasil no período de 1967 a 1973. SE EU FOSSE EU “Quando não sei onde guardei um papel importante e a procura se revela inútil, pergunto-me: se eu fosse eu e tivesse um papel importante para guardar, que lugar escolheria? Às vezes dá certo. Mas muitas vezes fico tão pressionada pela frase “se eu fosse eu”, que a procura do papel se torna secundária, e começo a pensar. Diria melhor, sentir. E não me sinto bem. Experimente: se você fosse você, como seria e o que faria? Logo de início se sente um constrangimento: a mentira em que nos acomodamos acabou de ser levemente locomovida do lugar onde se acomodara. No entanto já li biografias de pessoas que de repente passavam a ser elas mesmas, e mudavam inteiramente de vida. Acho que se e

Erro de português (Oswald de Andrade)

O Descobrimento do Brasil por Cândido Portinari Erro de português Quando o português chegou Debaixo duma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido O português — Oswald de Andrade

MAR PORTUGUÊS (Fernando Pessoa)

Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu. Pintura a óleo de Carlos Alberto Santos Poema extraído de Mensagem de Fernando Pessoa. Disponível para download em Domínio Público . Leia outros poemas de Fernando Pessoa Todas as Cartas de Amor são Ridículas Agora que sinto amor Sou um guardador de rebanhos Liberdade