O LAMENTO DAS COISAS (Augusto dos Anjos)

Adeus a Raiva — Leonid Afremov
Pintura de Leonid Afremov

Triste, a escutar, pancada por pancada,
A sucessividade dos segundos,
Ouço, em sons subterrâneos, do Orbe oriundos
O choro da Energia abandonada!

É a dor da Força desaproveitada
-- O cantochão dos dínamos profundos,
Que, podendo mover milhões de mundos,
Jazem ainda na estática do Nada!

É o soluço da forma ainda imprecisa...
Da transcendência que se não realiza...
Da luz que não chegou a ser lampejo...

E é em suma, o subconsciente aí formidando
Da Natureza que parou, chorando,
No rudimentarismo do Desejo!
Poema extraído de Eu e Outras Poesias, de Augusto dos Anjos.
Obra completa disponível para download no Portal Domínio Público Eu e outras Poesias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se Eu Fosse Eu (Clarice Lispector)

“— Vais encontrar o mundo, disse-me meu pai, à porta do Ateneu.”