2 de ago de 2017

Hibisco Roxo


Capa do livro "Hibisco Roxo" @Companhia das Letras

Hibisco Roxo é o primeiro romance da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. [1] O tema central da obra é violência doméstica. A história é narrada pela adolescente Kambili, que junto a seu irmão e sua mãe sofrem por conta do fanatismo religioso e violência por parte do seu pai Eugene.

A forma como a escritora trata a dependência emocional das vítimas numa relação de violência doméstica é muito realista e acredito que esse tipo de leitura pode fazer com que as pessoas tenham mais empatia e conhecimento sobre relacionamentos abusivos. Tomar conhecimento dessa dependência explica uma recente alteração na Lei Maria da Penha, agora a denúncia de terceiros é o suficiente para abrir uma ação contra um agressor [2]. Antes, para abrir a ação contra um agressor, era necessária a denúncia da vítima. Se ela fosse agredida, mas não denunciasse o companheiro, nada poderia ser feito. E ainda havia a possibilidade da mulher retirar a queixa diante das pressões do agressor. Esse foi um grande passo na nossa legislação para o enfrentamento da violência doméstica. É preciso entender a complexidade das relações de abuso.

Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação (tortura, etc), passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. [3]

Certamente a maioria das pessoas é bem familiar a esse distúrbio e deve passar por calafrios imaginando a dor que alguém possa ter passado até chegar a esse estado. Vítimas de violência doméstica chegam a esse estado muitas vezes, mas as pessoas já não parecem ter tanta empatia assim nesses casos. E essa falta de empatia se expressa quando dizem coisas do tipo:

❝ Mulher que apanha do marido e não larga dele é porque gosta de apanhar ❞
ou
❝ porque não larga ele? porque se submete a isso ❞

A culpa é transferida para a vítima. Essas pessoas ignoram a dependência emocional e o medo da vítima. Um medo muito justificado, já que a maioria dos assassinatos das mulheres vítimas de violência doméstica ocorrem no momento que elas decidem dar um basta na relação. Isso sem contar com a dependência financeira, algo que se torna ainda mais crítico quando o casal tem filhos.

A seguir uma palestra sobre violência doméstica de Leslie Steiner ao TED [4]. Leslie Steiner esteve em um relacionamento com um homem que constantemente a agredia e ameaçava sua vida. Nesta palestra ela fala sobre o seu relacionamento e corrige más interpretações que muitas pessoas têm a respeito das vítimas de violência doméstica. A palestra é muito esclarecedora sobre toda a complexidade das relações abusivas e o porquê é tão difícil sair de uma relação de abuso. 

Leslie Morgan - Por que as vítimas de violência doméstica não vão embora?



Mais sobre o tema ...


1. Hibisco Roxo
http://homoliteratus.com/hibisco-roxo-de-chimamanda-ngozi-adichie/

2. Lei Maria da Penha vale mesmo sem a denúncia da vítima
http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,lei-maria-da-penha-agora-vale-mesmo-sem-a-necessidade-de-denuncia-da-vitima,833694

3. Sindrome de Estocolmo
https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Estocolmo