15 de jun de 2016

Tão cedo passa tudo quanto passa!

Fernando Pessoa por Hermenegildo Sábat.
Tão cedo passa tudo quanto passa!

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Tão Cedo


Tão cedo tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Poema extraído de 'Poemas de Ricardo Reis', obra disponível para download em Poemas de Ricardo Reis (Domínio Público)

Ricardo Reis (heterônimo de Fernando Pessoa)



Nenhum comentário :

Postar um comentário