21 de jun de 2016

Pra Ter o Que Fazer (Clarice Falcão)

Nada gosta de não fazer nada
Todo telefone quer tocar
Uma janela é tão infeliz fechada
Quanto um carro sempre no mesmo lugar

Um relógio parado não existe
Um som sem som tem uma vida ruim
O apêndice é o órgão mais triste
Por que comigo não vai ser assim?

E aí eu marco três consultas
Antes de adoecer
E aí eu faço um estardalhaço
Só pra ter o que fazer

E eu me complico toda muito
Pra depois me resolver
E essa história demora horas
Só pra ter o que fazer




15 de jun de 2016

Tão cedo passa tudo quanto passa!

Fernando Pessoa por Hermenegildo Sábat.
Tão cedo passa tudo quanto passa!

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Tão Cedo


Tão cedo tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
E cala. O mais é nada.


Poema extraído de 'Poemas de Ricardo Reis', obra disponível para download em Poemas de Ricardo Reis (Domínio Público)

Ricardo Reis (heterônimo de Fernando Pessoa)