3 de mai de 2015

Parte IV: Visconde de Taunay, um escritor feminista!

Também se destacam as seguintes obras de Taunay: Ouro Sobre Azul (1875), Manuscritos de uma Mulher (1873), O Encilhamento: Cenas contemporâneas da Bolsa do Rio de Janeiro em 1890,1891 e 1892 (1893).

 Ouro sobre Azul é um romance ambientado no Rio de Janeiro e dirigido ao grande público. A expressão “Mas isso é ouro sobre azul” significa “mas isso é excelente, ótimo, melhor impossível”. Descobri lendo o livro, depois ouvi um colega português usando-a no meu trabalho. Imagino que fosse uma expressão comum na época. O interessante é que uma das personagens principais é uma viúva independente (a única forma de uma mulher ser independente na época!) e ela se dá muito bem em toda história. Subentende-se uma admiração do autor pela figura da mulher independente.

Eu me orgulho de ter a primeira edição do livro Manuscritos de uma Mulher. Ainda não li, pretendo ler este ano e postar no blog. Mas os primeiros dois parágrafos do livro já dizem muito:

Hoje estou casada e irremediavelmente infeliz escrevo estas páginas. Cerro os olhos ao futuro e volvo-os para o passado a fim de me esquecer do presente.”
 “Para mim não pode haver mais alegrias, esperanças, nem sonhos. Uma só palavra resume a minha imensa desgraça – casada – casada com um ente que por acaso encontrei e com quem a sina me ligou; casada e não com o homem para quem Deus me havia destinado.


O Encilhamento, também está na meta de leitura para 2015. Visconde de Taunay foi um investidor na Bolsa do Rio de Janeiro e ele vivenciou a maior crise financeira de sua época, a chamada Crise do Encilhamento.

O termo encilhamento vem do hipismo e remete ao ato de arrear os cavalo antes da corrida, alusão ao comportamento histérico dos investidores durante a explosão da bolha financeira.

 A Crise do Encilhamento possivelmente contribuiu para a queda da Monarquia no Brasil. Ou seja, ela foi um golpe duplo para o Visconde de Taunay, que além das perdas financeiras, se afastou da política para sempre por ser um monarquista convicto.

Para quem deseja saber mais sobre o autor, recomenda-se o livro O Visconde de Taunay e os fios da Memória da professora da UNESP Maria Lídia L. Maretti. E sigam as postagens do blog 500livros! 


Autor: Isotilia Melo do blog 500 LIVROS


Este é o segundo de um projeto de quatro posts para tratar um pouco das  principais obras de Visconde de Taunay. O Primeiro  post foi postado no Blog 500 Livros. Confira as postagens anteriore em 

Parte I: Visconde de Taunay um escritor feminista!


ParteII: Visconde de Taunay um escritor feminista!


Parte III: Visconde de Taunay, um escritor feminista!

Nenhum comentário :

Postar um comentário