Parte II: Visconde de Taunay, um escritor feminista!

 Uma das capas do romance que teve mais de 60 edições até nossos dias.
 Uma das capas do romance que teve mais de 60 edições até nossos dias.

Inocência, principal obra de Visconde de Taunay, é um romance que se passa no interior do Mato Grosso do Sul, possivelmente onde hoje existe uma cidade homônima.

O protagonista é o jovem Cirino, que se passa por farmacêutico (ele tem um livro de farmacologia para basear suas receitas!) e sai pelo sertão tratando todo tipo de doentes. Até que ele chega à fazenda de Pereira, um velho sertanejo, que só tem uma filha, chamada Inocência.

Seguindo a tradição, que é duramente criticada por Taunay, Inocência não sabe ler, nem escrever. Ela fica o dia todo trancada dentro de um cômodo, para ficar isolada de qualquer contato com homens estranhos até seu noivo prometido, Manecão, volte. 

No começo Pereira desconfia de que Cirino possa se interessar por Inocência. Mas logo em seguida aparecem um cientista alemão, Meyer, e seu ajudante para se hospedarem na fazenda de Pereira. O velho fica enlouquecido de medo de que o estrangeiro possa querer algo com sua filha Inocência. Pereira pede ajuda de Cirino para vigiar Meyer. A aproximação entre Cirino e Inocência aumenta e nasce o romance proibido.

O livro balança magistralmente entre o cômico, levando o leitor às gargalhadas, e o trágico. Ambos os estilos criticam os costumes patriarcais da época.


Quem desejar ler a obra gratuitamente basta clicar no link para o Domínio Público.


Autor: Isotília Melo do Blog 500 Livros


Este é o segundo de um projeto de quatro posts para tratar um pouco das  principais obras de Visconde de Taunay. O Primeiro  post foi postado no Blog 500 Livros. Confira o primeiro post em ParteI: Visconde de Taunay, um escritor feminista!

Veja também a continuação ParteIII: Visconde de Taunay um escritor feminista!