Velhas árvores (Olavo Bilac)

Fonte: http://literatasclube.blogspot.com.br/2012/08/velhas-arvores.html
Velhas árvores


Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores novas, mais amigas:
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...

O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.

Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo”! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem:

Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!



Poema retirado do livro Alma Inquieta de Olavo Bilac disponível para download em Domínio Publico (Alma Inquieta).


Leia outros poemas de Olavo Bilac ...

Ora (direis) ouvir estrelas!

​Cantinela

​Dualismo

​Última Página

Nenhum comentário :

Postar um comentário