15 de jul de 2014

MAR PORTUGUÊS (Fernando Pessoa)

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.


Mar português
Pintura a óleo de Carlos Alberto Santos

Poema extraído de Mensagem de Fernando Pessoa. Disponível para download em Domínio Público.


Leia outros poemas de Fernando Pessoa

Todas as Cartas de Amor são Ridículas

Agora que sinto amor

Sou um guardador de rebanhos

Liberdade


Nenhum comentário :

Postar um comentário